O tempo passa, mas a gente não muda

– Está com cara de quem chorou.

Estava tão óbvio assim? Ele ergueu uma de suas sobrancelhas e me encarou. Em um piscar de olhos eu já estava chorando de novo. Ele não disse nada, só observou. Não era normal eu chorar na frente das pessoas. As lágrimas são íntimas, sabe? São pequenas partículas de água pessoal que eu não gosto de compartilhar. Mas eu tinha que fazer isso. Uma voz dentro de mim dizia para contar o que estava acontecendo, faria a dor passar e tiraria o peso das minhas costas. Enxuguei as lágrimas e me senti burra. Não poderia contar. Ele acharia que sou louca, que era drama ou mais uma das minhas paranoias. NÃO ERA. Eu quis gritar. Eram sentimentos. Sentimentos ruins entalados na minha garganta, pedindo para sair, apertando o coração, me fazendo chorar. Respirei fundo enquanto pegava o copo de água que ele me ofereceu. Minhas mãos estavam tremulas e as lágrimas já estavam secas no meu rosto. Bebi alguns goles e respirei fundo de novo.

– Não vai me julgar, vai?

Estava com receio. Acho que morreria se ele risse do que eu estava prestes a dizer. Então ele sorriu e disse:

– Quem sou eu para te julgar? Sabe que sou um bom ouvinte, pode dizer.

Isso era verdade. Apesar de tudo que aconteceu entre a gente ele era o único capaz de me ouvir, entender e me dar uma solução. Era raro conversarmos, mas sempre que eu precisava ele estava disposto a ajudar e eu nunca soube retribuir.

– Eu estou… estranha. Essa deve ser a melhor palavra para definir tudo isso. – Suspirei – Estou egoísta também. Não sei como fazer isso parar.

Por mais que eu tentasse não conseguiria dizer toda a verdade, só os sentimentos que isso me trazia. E não é que o aperto no coração diminuiu? Era como fazer uma limpeza no meu interior. Estava dando certo.

– Sabe que não precisa ficar se culpando toda hora, não é? Eu te conheço. Você sempre foi assim e precisa aprender a parar. Não invente situações na sua cabeça, deixe as coisas acontecerem primeiro, ok?

A fonte de todo o problema: inventar situações. Nisso eu era boa. Começou quando eu era criança e meu pai demorou para me buscar na escola. Fui uma das últimas crianças a irem para a casa e o tempo todo eu pensava coisas negativas que pudessem ter acontecido para ele ter se atrasado e sofria precipitadamente. Daquele dia em diante as situações pioraram. Meu mal era a negatividade e eu não sabia como parar. Parecia um vício. Antes fosse maconha… A dor eu não sentiria.

– Eu sei.

– Prometa que vai demorar menos para me procurar da próxima vez? Dois anos é muito tempo.

Rimos. Em dois anos muita coisa muda, mas algumas continuam as mesmas.

Anúncios

25 comentários sobre “O tempo passa, mas a gente não muda

  1. Oie!
    Seu texto me fez lembrar de quando eu tinha 15 anos e escrevia sobre tudo o que acontecia comigo (bons tempos, fiquei com vontade de escrever sobre muitas coisas agora). Sabe, eu também costumo ser pessimista, me afasto de pessoas que só querem o meu bem, sou paranóica e um pouco estranha… Mas aos poucos eu aprendo a conviver com esse carrossel de emoções. E não chora mais, por favor :’)

    Beijos :*

    Curtido por 1 pessoa

  2. Oi, Amanda!

    Engraçado como alguns textos parecem ser feitos pra gente, né? Chorei só de ler o que você escreveu. Vejo muito disso em mim, sobre inventar situações e sofrer por antecipação. Eu também tenho meu confidente, ele é o meu melhor amigo e a gente também passou por alguns obstáculos. Agora olha que coincidência, em outubro faz dois anos que estamos juntos, namorando. Na verdade, agora estamos noivos. As coisas continuam esquisitas, mas estar com ele faz com que elas sejam mais menos doloridas. Tudo isso, aliado a um tratamento incrível com minha psicóloga e o psiquiatra, fizeram todo esse sentimento de estar errada e me culpar sumirem um pouco. Às vezes um texto fala com a gente, às vezes a gente responde de volta. Obrigada.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s